Pic the life

Home - Follow me



Another place to do the things that I like. Another little part of me


Avenged Plush

Victor. Gosto muito de escrever e adoro fotografias. E não sou bom falando de mim. Mas posso ser bem legal se você quiser conversar

Lost Symphony

Março 2012
Abril 2012
Maio 2012
Junho 2012


Not forgotten

Onigiri Quase Prédio, Cookie, Tumblr, Photos


To Think About

IBAMA, Planeta Sustentável


System Down





Best visualization: Mozilla Firefox

Bagunçado [Parte 1]
sexta-feira, 23 de março de 2012 @ by Victor @ - 00:18


  Vai ser divertido, ele disse. 
  Eu até agora tento descobrir se falávamos do mesmo assunto. Acho que não, pois ele estava com os fones de ouvido, balançando o pé de olhos fechados, cantarolando o refrão de algum rock dos anos 80 que não sei dizer o nome.
  - Você está brincando, não é? - eu falei, tirando a franja da frente de seus olhos. Não que ele a usasse por qualquer motivo; o cabelo preto e desarrumado precisava de um corte urgente.
  - Não, estou falando sério - falou, tão convincente que não podia estar brincando. E eu não gostei daquilo.
  - Você sabe que não há possibilidade de me fazer topar isso, não é?
  Foi quando ele disse aquelas três palavrinhas malditas.
  E não, obrigado por perguntar, não estou achando nada divertido ter um garoto de cinco anos agarrado na minha perna enquanto tento desligar a televisão e mandar aquela menina-cor-de-rosa estudar, esperando que minha visão não seja ofuscada pelo vestido, sapatilhas e sombra no tom mais gritante de rosa que você pode imaginar.
  Onde está esse desgraçado agora, por falar nisso?
  - Diiiigo! - gritei, quando o menino agarrado na minha perna tentou puxar meu cabelo, errando por cinco centímetros aos quais sou muito grata.
  Nada. O ingrato não me daria nem uma resposta digna. Abri a boca para gritar de novo, mas ele apareceu entrando na sala, e acabei tossindo para disfarçar.
  - Quem morreu? - ele falou, rindo, e puxou o garoto para longe de mim sem que eu precisasse falar. Colocou-o no sofá e mudou o canal, arrancando protestos da miss-barbie.
  - Você vai estudar o Brasil colônia Ana - ele disse - E é a vez do Rodrigo assistir televisão. 
  - Ele sempre foi seu favorito, só porque tem o seu nome - a menina reclamou, cruzando os braços.
  Rodrigo (aquele que não é um pirralho irritante) riu de um jeito tão contagiante que me vi rindo também. As duas crianças discutiram um pouco até que ele convenceu a garota a estudar, se agachando e sussurrando algo em seu ouvido. Ele nunca vai me contar o que foi, mas seja lá o que for, fez os olhos da menina brilharem e ela saiu correndo até a mesa, onde o livro já aberto a esperava.
  - Eles são realmente seus primos? - perguntei. Era difícil acreditar que a pessoa mais calma da face da Terra pudesse ter qualquer laço sangüíneo com aquelas crianças. 
  - Eles gostam de você - foi só o que ele me respondeu, sorrindo - Sabia que o Rodrigo anda dizendo no colégio que você é namorada dele? 
  Minha boca se abriu para uma resposta seca quando meus olhos encontraram os dele. Ele sorria, e seus olhos estavam felizes, mas isso não me enganava. Eu conhecia aquele olhar, aquela felicidade induzida.
  Agarrei sua mão e o puxei para a porta, ignorando suas perguntas.
  - Ei tia, não leva o Digo embora! - a menina gritou, muito contrariada.
  Meu pé direito nem chegou a tocar no chão. Inspirei profundamente e, quando olhei para a garota, tentei fazê-lo do modo mais simpático possível.
  - Não vou demorar, amorzinho - e empurrei Rodrigo para fora, fechando a porta atrás de mim logo que sai.
  - TIA? - explodi, balançando os braços erroneamente - Eu te juro que a próxima vez que ela me chamar assim... Para de rir, seu idiota! - o empurrei, sem efeito dessa vez. Ele estendeu os braços e pensei que fosse me empurrar também, mas ele os fechou em torno de mim e fez o contrário, me puxando. Enterrou a cabeça no meu ombro, senti algo quente e molhado no meu pescoço.
  Precisei de mais um instante para entender que ele estava chorando.


Marcadores: ,

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial